Ciclos políticos eleitorais: há influência das eleições municipais sobre a execução orçamentária dos municípios mineiros?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2021v24n2a6

Palavras-chave:

Orçamento Público, Ciclos orçamentário-eleitorais, Política Fiscal, Eleições Municipais

Resumo

Objetivo: Este artigo pretende avaliar se os ciclos políticos geram impactos na alocação de recursos públicos em educação, saúde e investimentos de infraestrutura (obras e instalações) nos municípios do Estado de Minas Gerais.

Método: Nesse contexto, a amostra foi composta por 500 municípios no período de 2007 a 2016, sendo excluídos os municípios que não apresentaram todos os dados no período estudado. Foi utilizado o modelo Seemingly Unrelated Regression (SUR) em painel proposto por Zellner e Theil (1962), elaborando-se um sistema de equações responsável por identificar a existência de ciclos eleitorais nas despesas supracitadas, totalizando três equações.

Originalidade/Relevância: Tendo em vista o locus do estudo, admite-se que os resultados podem colaborar no entendimento da dinâmica orçamentária municipal, considerando a influência de outras variáveis, como as binárias que se referem às mesorregiões e suas características.

Resultados: Corroborando a literatura atinente aos ciclos políticos-orçamentários, os resultados desta pesquisa apontam para a existência de influência do ciclo eleitoral na aplicação de recursos públicos com aumento de gastos em anos eleitorais e retração em anos pós-eleitorais nos municípios, fato bastante evidenciado nas despesas com obras e instalações, as mais visíveis para a população.

Contribuições teóricas/metodológicas: Desta forma, o artigo favorece uma melhor compreensão dos determinantes da utilização dos recursos públicos nos municípios mineiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique Pereira dos Santos, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Mestre em Administração Pública pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (2012). Atualmente é Assistente em Administração no Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Interessa-se por temas relacionados a orçamento público, administração pública e métodos quantitativos.

Vasconcelos Reis Wakim, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Graduate at Accounting by Federal University of Viçosa (UFV). Master in Regional Development and Agribusiness by Federal University of Tocantins (UFTO) and Doctor in Applied Economic by Federal University of Viçosa (UFV). Currently is Adjunct Professor level III in Federal University of the Jequitinhonha and Mucuri Valleys. Researcher in environmental area, financial, economic and econometrics.

Cinthia Izabela Pina Fernandes, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Possui graduação em direito pela FACULDADE DE DIREITO DO VALE DO RIO DOCE- FADIVALE (2014), mestre em Administração Pública pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, atualmente, presta serviços de assessoria e consultoria jurídica.

Referências

Abreu, C. R., & Câmara, L. M. (2015). O orçamento público como instrumento de ação governamental: uma análise de suas redefinições no contexto da formulação de políticas públicas de infraestrutura. Revista De Administração Pública. 49(1), 73-90. https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122015000100073&lng=pt&tlng=pt.

Akerman, J. (1947). Political economic cycle. International Review for Social Sciences, 1(2), 107-117. https://doi.org/10.1111/j.1467-6435.1947.tb00420.x

Araújo, J. M. de, (2010). Relações entre Economia e Política: uma análise dos ciclos político-econômicos nos estados brasileiros no período de 1995 a 2008. 69 f. Dissertação de mestrado (Mestrado em Economia) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. Recuperado em 15 junho, 2019, de https://repositorio.ufpb.br/jspui/bitstream/tede/5044/1/arquivototal.pdf.

Brender, A., & Drazen, A. (2005). Political budget cycles in new versus established democracies. Journal Of Monetary Economics, 52(7), 1271-1295. https://doi.org/10.1016/j.jmoneco.2005.04.004

Caetano, C. C. R., Ávila, L. A. C., & De Tavares, M. (2017). A relação entre as transferências governamentais, a arrecadação tributária própria e o índice de educação dos municípios Do Estado De Minas Gerais. Revista De Administração Pública, 51(5), 897–916. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7612174433.

Complementary Law 101, May 04, 2001 (2001). Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Recuperado em 29 julho, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp101.htm

Constitution of the Federative Republic of Brazil 1988 (1988). Brasília. Recuperado em 27 julho, 2019, de https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_08.09.2016/CON1988.asp

Costa, C. C. de M., Ferreira, M. A. M., Braga, M. J., & Abrantes, L. A. (2012). Disparidades Inter-Regionais e Características dos Municípios do Estado de Minas Gerais. Desenvolvimento Em Questão, 10(20), 52–88. https://doi.org/10.21527/2237-6453.2012.20.52-88

Costa, R. A. da, Ervilha, G. T., Viana, D. W., & Gomes, A. P. (2019). A eficiência dos gastos culturais em reduzir a criminalidade e elevar a escolaridade em Minas Gerais. Gestão & Regionalidade, 35(104), 26-45. https://doi.org/10.13037/gr.vol35n104.4949

Covre, J., & De Mattos, L. B. (2016). A situação fiscal e os ciclos políticos nos municípios brasileiros: uma análise a partir de dados em painel dinâmico espacial. Anais do XLIV Encontro Nacional de Economia da Anpec. Recuperado em 05 agosto, 2019, de https://www.anpec.org.br/encontro/2016/submissao/files_I/i5-94e3074a85f0d3b26377da2541e8f965.pdf

Dias, B. P., Nossa, V., & Monte-Mor, D. S. (2018). O investimento público influencia na reeleição? um estudo empírico nos municípios do Estado Do Espírito Santo. Revista De Administração Pública, 52(5), 880–898. https://doi.org/10.1590/0034-7612172594.

Downs, A. An economic theory of democracy. (1957). New York: Harper & Row.

Drazen, A., & Eslava, M. (2010). Electoral manipulation via voter-friendly spending: theory and evidence. Journal Of Development Economics, 92(1), 39-52. https://doi.org/10.1016/j.jdeveco.2009.01.001

Fialho, T. M. M. (1997). Testando a evidência de ciclos políticos no Brasil. Revista Brasileira de Economia, 51(3), 379-389. Recuperado em 01 junho, 2019, em http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rbe/article/view/699/0

Fonseca, P. C., & Ferreira, M. A. M. (2009). Investigação dos níveis de eficiência na utilização de recursos no setor de saúde: uma análise das microrregiões de minas gerais. Saúde E Sociedade, 18, 199–213. https://doi.org/10.1590/s0104-12902009000200004.

Gionedis, E. M., & Guimarães, R. (2016). Ciclos político-econômicos: uma análise do comportamento dos gastos públicos do Estado Do Paraná no período de 2003-2013 via dados em painel. Revista Paranaense De Desenvolvimento - RPD, 37(131), 177-198. Recuperado em 27 julho, 2019 em https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/5772340.pdf

Gobbi, S. G. (2011). Teoria do ciclo político-econômicos: um estudo de São Paulo e Minas Gerais. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Ciências Econômicas) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara, 2011.

Gonçalves, L. G., Funchal, B., & Bezerra Filho, J. E. (2017). A influência dos ciclos políticos nos investimentos públicos em infraestrutura: um estudo nos estados brasileiros no período de 2003 a 2014. Revista de Administração Pública, 51(4), 462-481. https://doi.org/10.1590/0034-7612156337.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2020). IBGE Cidades. Recuperado em 02 fevereiro, 2020, de https://cidades.ibge.gov.br/

Kalecki, M. (1943). Political aspects of full employment. In. Ferguson, T., & Rogers, J. (Ed), The political economy (pp. 27-31). New York: M. E. Sharpe.

Kanayama, R. L. (2009). A ineficiência do orçamento público impositivo. Revista de Direito Público da Economia, 28, 127 – 144. Recuperado em 06 junho, 2019, em https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4098472/mod_resource/content/1/Sem3_Texto2_KANAYAMA.pdf

Katsimi, M., Sarantides, V. (2012). Do elections affect the composition of fiscal policy in developed, established democracies? Public Choice, 151, 325–362. https://doi.org/10.1007/s11127-010-9749-8

Lautenschlage, J. (2017). Influência das eleições e dos políticos na composição da despesa pública dos municípios de Santa Catarina. Revista Catarinense De Economia, 1(2), 89-112. Recuperado em 08 agosto, 2019, de http://apec.pro.br/rce/index.php/rce/article/view/18/15.

Lautenschlage, J. (2018). Ciclos Político-orçamentários nos municípios de Santa Catarina. Textos De Economia, 21(1), 01–24. https://doi.org/10.5007/2175-8085.2018v21n1p1.

Law 4.320, March 17, 1964. (1964). Estatui Normas Gerais de Direito Financeiro para elaboração e controle dos orçamentos e balanços da União, dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal. Brasília, 1964. Recuperado em 22 junho, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l4320.htm.

Law 8.666, June 21, 1993. (1993). Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Recuperado em 23 junho, 2019, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666cons.htm

Macedo, Joel de Jesus, & Corbari, Ely Célia. (2009). Efeitos da Lei de Responsabilidade Fiscal no endividamento dos Municípios Brasileiros: uma análise de dados em painéis. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), 44-60. https://doi.org/10.1590/S1519-70772009000300004

Nakaguma, M. Y., & Bender, S. (2010). Ciclos políticos e resultados eleitorais: um estudo sobre o comportamento do eleitor brasileiro. Revista Brasileira De Economia, 64(1) 3–24. https://doi.org/10.1590/s0034-71402010000100001

Neto, W. P., & Rossi, G. F. (2016). Ciclos político-econômicos no Brasil. Revista de Ciências Humanas, 16 (2), 359–376. Recuperado em 08 agosto, 2019, de https://www.locus.ufv.br/bitstream/123456789/19875/1/artigo.pdf

Nordhaus, W. (1975). The Political Business Cycle. The Review of Economic Studies, 42(2), 169-190. https://doi.org/10.2307/2296528

Nunes, G. S. (2017). Ciclos políticos orçamentários: uma análise das despesas em educação e saúde para os municípios do Rio Grande do Sul (2002-12). Indicadores Econômicos FEE, 44(4), 99–110. Recuperado em 12 agosto, 2019, de https://revistas.planejamento.rs.gov.br/index.php/indicadores/article/view/3898/3846

Orair, R. O., Gouvêa, R. R., & Leal, É. M. (2014). Ciclos políticos eleitorais e investimentos das administrações públicas no Brasil. Instituto De Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 1999, 7-42. Recuperado em 06 junho, 2019, de https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1999.pdf

Pereira, A. E. G., Nakabashi, L., & Sachsida, A. (2011). Qualidade das instituições e PIB per capita nos municípios brasileiros. Instituto De Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), v. 1623, 7-30. Recuperado em 08 julho, 2019, de https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1623.pdf

Puchale, C. L., Pereira, O. L. F., & Veloso, G. O. (2018). Ciclos político-econômicos oportunistas: influência nas despesas do Brasil (1994-2014). Brazilian Journal Of Development, 4(7), 3830–3845. Recuperado em 29 junho, 2019, em https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/409

Queiroz, M. C. L., & Silva, A. B. Da. (2020). Ciclos políticos orçamentários no Estado Do Ceará (1986-2006). Planejamento E Políticas Públicas, 2 (35), 223-252. Recuperado em 22 outubro, 2019, de http://www.ipea.gov.br/ppp/index.php/ppp/article/view/202

Reston, J. (2000). O Município para candidatos. 4. ed. Rio de Janeiro: IBAM.

Rezende, F. (2009). A reforma orçamentária e a eficiência fiscal. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), 1392, 7-34. Recuperado em 05 julho, 2019, em http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/1636

Rigolon, F. J. Z., & Piccinini, M. S. (1998). O investimento em infra-estrutura e a retomada do crescimento econômico sustentado. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), 63, 129-158. Recuperado em 22 outubro, 2019, de http://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/9654

Rodrigues, A. de C. (2015). Determinantes da (in)eficiência do gasto público em educação: o caso dos municípios mineradores de Minas Gerais. 42 f. Dissertação (Mestrado em Administração Pública) – Universidade Federal de Viçosa, Florestal. Recuperado em 15 junho, 2019, em https://www.locus.ufv.br/handle/123456789/7808

Rossi, P., & Mello, G. (2017). Choque recessivo e a maior crise da história: A economia brasileira em marcha à ré. Centro de Estudos de Conjuntura e Política Econômica - IE/UNICAMP, 1, 1-5. Recuperado em 19 junho, 2019, de https://www3.eco.unicamp.br/images/arquivos/NotaCecon1_Choque_recessivo_2.pdf

Sakurai, S. N. (2009). Ciclos políticos nas funções orçamentárias dos municípios brasileiros: uma análise para o período 1990 - 2005 via dados em painel. Estudos econômicos (São Paulo), 39(1), 39–58. https://doi.org/10.1590/s0101-41612009000100002

Sakurai, S. N., & Gremaud, A. P. (2007). Political business cycles: evidências empíricas para os municípios paulistas (1989 - 2001). Economia Aplicada, 11(1), 27-54. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-80502007000100002

Salvato, M. A., Antures, P. C., Araujo Jr., A. F., & Shikida, C. D. (2008). Ciclos políticos: um estudo sobre a relação entre flutuações econômicas e calendário eleitoral no Brasil, 1985-2006. Revista de Economia e Administração, 7(1), 1-20. http://dx.doi.org/10.11132/rea.2002.173

Santos, A. M. S. P. (2018). Políticas sociais em xeque: impactos da crise sobre as finanças municipais. Boletim petróleo, royalties e região, 61, 35-46. Recuperado em 17 setembro, 2019, em https://royaltiesdopetroleo.ucam-campos.br/wp-content/uploads/2018/12/boletim-royalties-N61-dezem-2018-artigo-4.pdf

Silva, A. C., Carvalho, L. O. de, Medeiros, O. L. de, (2009). Dívida Pública: a experiência brasileira. Brasília: Secretaria do Tesouro Nacional: Banco Mundial.

Silva, G. J. C. Da, & Scatolin, R. S. (2012) Gastos públicos e crescimento econômico recente dos estados brasileiros. Revista Economia & Tecnologia, 8(3), 19-38. http://dx.doi.org/10.5380/ret.v8i3.29870

Silva, S. L. P., Faroni, W., & Barbiéri, R. S. (2016) Ciclos político-orçamentários e reeleição: um estudo para os municípios do norte do Brasil. Revista Científica da FAMINAS, 7(1), 99-120. Recuperado em 22 janeiro, 2020, em http://200.202.212.131/index.php/rcfaminas/article/view/268

Tufte, E. (1978). Political control of the economy. Princeton: Princeton University Press.

Vasconcellos de Oliveira, K., & Azevedo de Carvalho, F. A. (2009). A contabilidade governamental e o calendário eleitoral: uma análise empírica sobre um painel de municípios do Rio de Janeiro no período 1998 - 2006. Revista de Contabilidade e Organizações, 3(5),121-141. Recuperado em 06 julho, 2019, em https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=235216392007

Vasconcelos, R. D. De, Ferreira Júnior, S., & Nogueira Junior, R. P. (2013) A dinâmica da execução orçamentária federal do Brasil sob a ótica dos ciclos políticos eleitorais, 1985-2010. Economia aplicada, 17(3), 325–354. https://doi.org/10.1590/s1413-80502013000300005

Veiga, L.G., & Veiga, F.J. (2007). Political business cycles at the municipal level. Public Choice 131, 45–64. https://doi.org/10.1007/s11127-006-9104-2

Vergne, C. (2009). Democracy, elections and allocation of public expenditures in developing countries. European Journal of Political Economy, 25(1), 63-77. https://doi.org/10.1016/j.ejpoleco.2008.09.003

Videira, R. A., & Mattos, E. (2011) Ciclos políticos eleitorais e a interação espacial de políticas fiscais entre os municípios brasileiros. Economia aplicada, 15(2), 259–286. https://doi.org/10.1590/s1413-80502011000200005

Wakim, V. R., Magalhães, E. A. de, Gomes, M. F. M., & Silva, F. A. (2015) Nível de renda e finanças públicas: uma análise dos municípios do Paraná. Revista Econômica do Nordeste, 46(4), 177–190. Recuperado em 07 outubro, 2019, em https://www.bnb.gov.br/revista/index.php/ren/article/view/611/486

Zellner, A., & Theil, H. (1962). Three stage least squares: simultaneous estimate of simultaneous equations. Econometrica, 30 (1), 54-78. https://doi.org/10.2307/1911287

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Pereira dos Santos, P. H., Reis Wakim, V., & Pina Fernandes, C. I. (2021). Ciclos políticos eleitorais: há influência das eleições municipais sobre a execução orçamentária dos municípios mineiros?. Journal of Accounting, Management and Governance, 24(2), 239–255. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2021v24n2a6

Edição

Seção

Artigo científico (Seção de Gestão e Contabilidade Pública)