Qualidade dos Lucros e Resiliência de Instituições Financeiras Brasileiras: Uma Análise do Índice de Basileia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2021v24n3a1

Palavras-chave:

Instituições Financeiras, Índice de Basileia, Qualidade do Lucro, Gerenciamento de Resultados

Resumo

Objetivo: Analisar a relação entre o índice de Basileia e a qualidade dos lucros reportados por entidades do setor financeiro brasileiro.

Método: Foram examinados dados semestrais, divulgados no site do BACEN, de 105 instituições financeiras, entre os anos de 2010 a 2018, totalizando 1.889 observações. O método escolhido para a aferição da qualidade dos lucros foi o gerenciamento de resultados, mediante a conta Perdas com Crédito de Liquidação Duvidosa (PCLD), sendo esta utilizada como variável dependente em modelo de regressão com dados em painel por efeitos fixos e aleatórios. Como variável independente utilizou-se o Índice de Basileia (IB) como proxy de resiliência financeira.

Originalidade/Relevância: Analisar a relação entre lucro e resiliência é original e relevante por fornecer insights sobre a confiabilidade da proxy de estabilidade financeira dos bancos brasileiros, em contrapartida com qualidade da informação contábil.

Resultados: Uma das regressões retornou relação negativa e significativa do Índice de Basileia com a PCLD. A conclusão é a de uma relação inversa entre a resiliência e o gerenciamento, configurando-se evidência de qualidade informacional do índice de estabilidade financeira.

Contribuições teóricas/metodológicas: Contribui com a literatura sobre qualidade informacional contábil ao atestar a resiliência financeira dos bancos como uma medida confiável para diversos usuários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Vitor Souza de Souza, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Professor Adjunto da Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutor em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasí­lia (UnB)

Jose Augusto Paixão Moraes, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Auxiliar Judiciário no Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA)

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Pará (UFPA)

Referências

Almeida, M. S., Bertucci, L. A., Souza, J. R., & Amaral, H. F. (2012). Influência da crise financeira mundial na estrutura econômica das instituições financeiras bancárias brasileiras e seus reflexos no Índice de Basiléia: uma abordagem comparativa. Revista de Contabilidade e Organizações, 6(16), 73-94. https://doi.org/10.11606/rco.v6i16.52668

Banco Central do Brasil (2019). Estabilidade financeira. Brasília: BCB. Retrieved from https://www.bcb.gov.br/estabilidadefinanceira

Bank for International Settlements (2019). The Basel Committee – overview. Retrieved from https://www.bis.org/bcbs

Bushman, R. M. & Smith, A. J. (2001). Financial accounting information and corporate governance. Journal of Accounting and Economics, 32(3), 237-333. https://doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00027-1

Cantrell, B. W., McInnis, J. M., & Yust, C. G. (2014). Predicting credit losses: Loan fair values versus historical costs. The Accounting Review, 89(1), 147-176. https://doi.org/10.2308/accr-50593

Carvalho, J. A., Pereira, J. V., & Dantas, J. A. (2018). As Instituições Financeiras Brasileiras Usam a PCLD para Gerenciamento de Capital?. Enfoque: Reflexão Contábil, 37(2), 127-140. https://doi.org/10.4025/enfoque.v37i2.34077

Castro, L. B. de. (2007). Regulação Financeira – Discutindo os Acordos de Basiléia. Revista do BNDES, 14(28), 277-304. Retrieved from http://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/12140

Cohen, B. H., & Edwards, G. (2017). The new era of expected credit loss provisioning. BIS Quarterly Review, March. Retrieved from https://www.bis.org/publ/qtrpdf/r_qt1703f.htm

Conselho Monetário Nacional: resolução CMN nº 2.681, de 21 de dezembro (1999) Brasília: CMN.

Conselho Monetário Nacional: resolução CMN nº 4.193, de 1º de março (2013) Brasília: CMN.

Cunha, P. R. da, Bezerra, F. A., Gubiani, C. A. & Rengel, S. (2009). Gerenciamento de resultados contábeis em instituições financeiras: Uma análise do rodízio de empresas de auditoria independente. Congresso Brasileiro de Custos, XVI – Fortaleza-CE. Retrieved from https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/1075/1075

Dantas, J. A., Galdi, F. C., Capalletto, L. R. & Medeiros, O. R. (2013). Discricionariedade na mensuração de derivativos como mecanismo de gerenciamento de resultados em bancos. Rev. Bras. Finanças (Online), 11(1), 17–48. Retrieved from http://www.spell.org.br/documentos/ver/10050

Dechow, P., Ge, W., & Schrand, C. (2010). Understanding earnings quality: A review of the proxies, their determinants and their consequences. Journal of accounting and economics, 50(2), 344-401. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2010.09.001

Dyck, A. & Zingales, L. (2004). Private benefits of control: an international comparison. Journal of Finance, 59(2), 537-600. Retrieved from https://www.jstor.org/stable/3694907

Fuji, A. H., & Carvalho, L. N. G. de (2005). Earnings management no contexto bancário brasileiro. Anais do Congresso da USP, São Paulo, SP, Brasil, 5. Retrieved from https://congressousp.fipecafi.org/anais/artigos52005/7.pdf

Goulart, A. M. C. (2007). Gerenciamento de resultados contábeis em instituições financeiras no Brasil. 219 fls. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis), Departamento de Contabilidade e Atuaria da Faculdade de Economia, Administração, e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo. https://doi.org/10.11606/T.12.2008.tde-17032008-124153

Harris, T. S., Khan, U., & Nissim, D. (2018). The expected rate of credit losses on Banks' Loan Portfolios. The Accounting Review, 93(5), 245-271. https://doi.org/10.2308/accr-52012

Healy, P. M. & Whalen, J. M. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, 13(4), 365-383. https://doi.org/10.2308/acch.1999.13.4.365

Le, T. D., Tran, S. H., & Nguyen, L. T. (2021). Loan loss provisions, earnings management, capital management, and signalling: The case of Vietnamese banks. Afro-Asian Journal of Finance and Accounting. 1-26.

Leite, K. V. B. & Reis, M. (2013). O Acordo de capitais de Basileia III: Mais do mesmo? Revista EconomiA. 14(1), 159–187. Retrieved from http://www.anpec.org.br/revista/vol14/vol14n1p159_187.pdf

Macedo, M. A. da S. & Kelly, V. L. de A. (2016). Gerenciamento de resultados em instituições financeiras no Brasil: Uma análise com base em provisões para crédito de liquidação duvidosa. Revista Evidenciação Contábil & Finanças. 4(2), 82-96. Retrieved from https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/recfin/article/view/29260

Martinez, A. L. (2008). Detectando earnings management no Brasil: Estimando os accruals discricionários. Rev. Contabilidade & Finanças, 19(46), 7-17. https://doi.org/10.1590/S1519-70772008000100002

Marton, J., & Runesson, E. (2017). The predictive ability of loan loss provisions in banks–Effects of accounting standards, enforcement and incentives. The British Accounting Review, 49(2), 162-180. https://doi.org/10.1016/j.bar.2016.09.003

Ozili, P. K., & Outa, E. (2017). Bank loan loss provisions research: A review. Borsa Istanbul Review, 17(3), 144-163. https://doi.org/10.1016/j.bir.2017.05.001

Pinheiro, F. A. P. Savóia, J. R. F. & Securato, J. R. (2015). Basileia III: Impacto para os Bancos no Brasil. Revista Contabilidade e Finanças. 26(69). https://doi.org/10.1590/1808-057x201500720

Reis, M. (2015). O acordo de Basileia III e a pró-ciclicidade da regulação financeira. Nova Economia, 25(3), 691-716. Belo Horizonte/MG. http://dx.doi.org/10.1590/0103-6351/2455

Santos, L. J., Macedo, M. A. S. & Rodrigues, A. (2014). Determinantes do nível de divulgação das recomendações do Pilar 3 do acordo de Basileia 2 nas demonstrações financeiras das instituições bancárias que atuam no Brasil. Brazilian Business Review. 11(1), 26-50. Retrieved from http://www.spell.org.br/documentos/ver/27073/determinantes-do-nivel-de-divulgacao-das-recomendacoes-do-pilar-3-do-acordo-de-basileia-2-nas-demonstracoes-financeiras-de-instituicoes-bancarias-que-atuam-no-brasil/i/pt-br

Silva, D. B. R. e (2005). O impacto de requerimentos de capital na oferta de crédito bancário no Brasil. 2005. 74 f. Dissertação (Mestrado em Economia) –Programa de Pós-Graduação em Economia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

https://doi.org/10.11606/D.12.2005.tde-08082005-085631

Silva, S. E. D., & Ferreira, B. P. (2016). Relações entre o Índice de Basiléia e o Nível de Endividamento das Famílias Brasileiras. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 11(2). https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v11i2.13377

Wahlen, J. (1994). The nature of information in commercial bank loan loss disclosures. The Accounting Review, 1, 455-478. Retrieved from https://www.proquest.com/openview/bcd4f20a60d3e46239f7a67f74b663dc/1?pq-origsite=gscholar&cbl=18750&diss=y

Yanaka, G. M., & Holland, M. (2010). Basileia II e exigência de capital para risco de crédito dos bancos no Brasil. Revista Brasileira de Finanças, 8(2), 167-195. https://doi.org/10.12660/rbfin.v8n2.2010.1419

Publicado

2021-12-30

Como Citar

Souza, P. V. S. de, & Moraes, J. A. P. (2021). Qualidade dos Lucros e Resiliência de Instituições Financeiras Brasileiras: Uma Análise do Índice de Basileia . Contabilidade Gestão E Governança, 24(3), 256–273. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2021v24n3a1

Edição

Seção

Artigo científico (Seção de Gestão e Contabilidade de Empresas Privadas & do Terceiro Setor)