Ação Empreendedora no Setor Público: O “Pós-compra” de uma Universidade Pública de Minas Gerais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2021v24n2a3

Palavras-chave:

Ação empreendedora, Empreendedorismo público, Ação empreendedora no setor público, Compras públicas.

Resumo

Objetivo: averiguar se a criação do setor de “Pós-compra” em uma Universidade pública do sul de Minas Gerais pode ser compreendida como uma ação empreendedora.

Método: abordagem qualitativa e descritiva, apoiada na realização de um estudo de caso observacional. As informações foram obtidas através da observação participante, entrevista semiestruturada e pesquisa documental, e analisadas pela técnica da análise temática, a partir do esquema teórico proposto.

Originalidade/Relevância: deslocar o foco dos estudos que destacam o indivíduo empreendedor, para a ação empreendedora propriamente dita, e explorar o tema do “Pós-compra” nas organizações públicas. Este trabalho é uma forma de proporcionar à sociedade o conhecimento das diferentes ações inovadoras promovidas pela Universidade pesquisada, além de inspirar outras organizações públicas a desenvolveram ações semelhantes.

Resultados: a criação do setor proporcionou resultados sociais no contexto da Universidade pesquisada, os quais se manifestaram através da geração de benefícios qualitativos (mudança da visão por parte dos fornecedores, suporte aos membros da comunidade universitária e impacto positivo no atendimento das necessidades de materiais) e quantitativos (redução de valores inscritos em Restos a Pagar, melhoria da execução orçamentária e gestão de recursos e, ainda, a melhoria dos índices contábeis da instituição). Pelas características apresentadas, tem-se que a criação do setor pode ser compreendida como uma ação empreendedora.

Contribuições teóricas/metodológicas: além da contribuição para o campo de estudos sobre empreendedorismo público, o trabalho propõe um esquema teórico que pode ser empregado em novas pesquisas empíricas com o intuito de compreender a ocorrência da ação empreendedora no setor público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Meirelles Andrade, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Departamento de Administração e Economia

Referências

Abreu, E. R. (2015). O processo de sanção administrativa como instrumento de preservação do interesse público na relação entre a administração pública e as empresas licitantes: uma análise prática da aplicação da Lei nº. 8.666/1993 e da Lei nº. 10.520/2002 (Monografia de Bacharelado em Direito). Universidade de Brasília, Distrito Federal, Brasil. Recuperado de https://bdm.unb.br/handle/10483/10836

Assis, S. A. F. (2015). Modernização da burocracia das compras públicas: sistema de registro de preços em uma Instituição Federal de Ensino Superior (Dissertação de Mestrado Profissional em Administração Pública), Universidade Federal de Lavras, Lavras, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/9750

Biazzi, M. R., Muscat, A. R. N., & Biazzi, J. L. (2011). Modelo de aperfeiçoamento de processos em instituições públicas de ensino superior. Gestão & Produção, 18(4), 869-880. https://doi.org/10.1590/S0104-530X2011000400013

Borges, D. A. H. (2018). Muito mais que uma política: ações empreendedoras no esporte de Lavras/MG (Dissertação de Mestrado em Administração), Universidade Federal de Lavras, Lavras, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/29113

Borges. D. A. H., & Cappelle. M. C. A. (2017). Ação empreendedora: uma estratégia para o planejamento público brasileiro. Anais do Simpósio de Inovação, Empreendedorismo e Gestão Pública, Lavras, Minas Gerais, Brasil, 01. Recuperado de http://www.nucleoestudo.ufla.br/niesp/index.php/anais-do-siegep/

Boszczowski, A. K.; & Teixeira, R. M. (2012). O empreendedorismo sustentável e o processo empreendedor: em busca de oportunidades de novos negócios como solução para problemas sociais e ambientais. Revista Economia & Gestão, 12(29), 141-168. https://doi.org/10.5752/P.1984-6606.2012v12n29p109

Braun, V., & Clarke, V. (2006). Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, 3(2), 77-101. https://doi.org/10.1191/1478088706qp063oa

Burke, N. J., Joseph, G., Pasick, R. J., & Barker, J. C. (2009). Theorizing social context: rethinking behavioral theory. Health Education & Behavior, 36(5), 55-70. https://doi.org/10.1177/1090198109335338

Gomes, A. F. (2010). Ação empreendedora e relações de gênero: um estudo multicasos na cidade de Vitória da Conquista, Bahia (Tese de Doutorado em Administração), Universidade Federal de Lavras, Lavras, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/2754

Gomes, A. F., Lima, J. B., & Cappelle, M. C. A. (2013). Do empreendedorismo à noção de ações empreendedoras: reflexões teóricas. Revista Alcance (Online), 20(2), 203-220. https://doi.org/10.14210/alcance.v20n2.p203-220

Gomes, J. M., Paiva Júnior, F. G., & Xavier Filho, J. L.J. (2018). A ação empreendedora de produtores de jogos independentes inspirada no effectuation. Anais do Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, São Paulo, SP, Brasil, 10. Recuperado de https://proceedings.science/egepe/papers/a-acao-empreendedora-de-produtores-de-jogos-independentes-inspirada-no-effectuation

Groot, A., & Dankbaar, B. (2014). Does social innovation require social entrepreneurship?. Technology Innovation Management Review, 4(12), 17-26. http://doi.org/10.22215/timreview/854

Guimarães, J. C. (2014). Os elementos de inteligência empreendedora como promotores de eficiência organizacional: um fenômeno na academia. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, 4(1), 38-56. Recuperado de https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/pgc/article/view/16048

Klein, P. G. (2008). Opportunity discovery, entrepreneurial action, and economic organization. Strategic Entrepreneurship Journal, 2(3), 175-190. https://doi.org/10.1002/sej.50

Lima, J. B. (2010). Ações empreendedoras e práticas da pesquisa em empreendedorismo. In: F. Gimenez, J. M. Ferreira, & S. C. Ramos (Org.). Empreendedorismo e estratégia de empresas de pequeno porte - 3Es2Ps. Curitiba: Champagnat, 25-40. Recuperado de https://pucpress.pucpr.br/index.php/pucpress/catalog/book/29

Marques, T. W. R. (2016). O empreendedorismo universitário pela dinâmica da ação empreendedora no Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (Dissertação de Mestrado em Administração), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/25061

Nascimento, P. O. (2018). A ação empreendedora na gestão pública escolar (Dissertação de Mestrado em Administração Pública), Universidade Federal de Lavras, Lavras, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://repositorio.ufla.br/jspui/handle/1/31497

Paiva Júnior, F. G. (2004). O empreendedorismo na ação de empreender: uma análise sob o enfoque da fenomenologia social de Alfred Schutz (Tese de Doutorado em Administração), Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil.

Pinheiro, P. R. (2017). Gerência de pós-compra da Universidade Federal de Juiz de Fora: uma proposta de reestruturação (Dissertação de Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação Pública), Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. Recuperado de http://repositorio.ufjf.br:8080/jspui/handle/ufjf/6797

Portal UFLA. (2018). UFLA é o órgão federal menos vulnerável a fraude e corrupção de Minas Gerais. Recuperado em 06 de janeiro, 2019, de https://ufla.br/noticias/institucional/12481-ufla-e-o-orgao-federal-menos-vulneravel-a-fraude-e-corrupcao-em-minas-gerais

Rossetto, A. M. (1999). Estrutura organizacional pública como um entrave à adoção de inovações em tecnologia de informações. Anais do Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil, 23. Recuperado de http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enanpad1999-ap-32.pdf

Sarason, Y., Dean, T., & Dillard, J. F. (2006). Entrepreneurship as the nexus of individual and opportunity: a structuration view. Journal of business venturing, 21(3), 286-305. https://doi.org/10.1016/j.jbusvent.2005.02.007

Sá-Silva, J. R., Almeida, C. D., & Guindani, J. F. (2009). Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista brasileira de história & ciências sociais, 1(1), 1-15. Recuperado de https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10351/0

Silva, C. A., Valadares, J. L., & Andrade, D. M. (2016). Ações empreendedoras na gestão pública: análise do Programa Crédito Solidário (PCS) em um município do sul de Minas Gerais. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, 15(1), 55-68. https://doi.org/10.21529/RECADM.2016005

Sousa, J. L. (2010). A ação empreendedora em uma instituição fundacional do setor público: o caso da Fundação Joaquim Nabuco (Dissertação de Mestrado em Administração), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, Pernambuco, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/1190

Sousa, J. L., Paiva Júnior, F. G., & Lira, Z. B. (2010). A abordagem multidimensional do empreendedorismo no setor público: o caso da ação empreendedora da fundação Joaquim Nabuco. Revista Gestão & Planejamento, 11(2), 337-354. Recuperado de https://revistas.unifacs.br/index.php/rgb/article/view/1135/967

Spedale, S., & Watson, T. J. (2014). The emergence of entrepreneurial action: at the crossroads between institutional logics and individual life-orientation. International Small Business Journal, 32(7), 759-776. https://doi.org/10.1177/0266242613480376

Teixeira, T. S., Andrade, D. M., Alcântara, V. C., & Oliveira, N. K. (2019). Inovação e empreendedorismo: um caso no setor público. Revista Pretexto, 20(1), 57-71.

https://doi.org/10.21714/pretexto.v20i1.5609

Thornton, P. H., & Ocasio, W. (1999). Institutional logics and the historical contingency of power in organizations: executive succession in the higher education publishing industry, 1958–1990. American Journal of Sociology, 105(3), 801-843. https://doi.org/10.1086/210361

Vinuto, J. (2014) A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, 22(44), 203-220. https://doi.org/10.20396/tematicas.v22i44.10977

Watson, T. J. (2013). Entrepreneurship in action: bringing together the individual, organizational and institutional dimensions of entrepreneurial action. Entrepreneurship & Regional Development, 25(5-6), 404-422. https://doi.org/10.1080/08985626.2012.754645

Welter, F. (2011). Contextualizing entrepreneurship-conceptual challenges and ways forward. Entrepreneurship Theory and Practice, 35(1), 165-184. https://doi.org/10.1111/j.1540-6520.2010.00427.x

Werlang. N. B., Favretto, F., & Flach, R. O. (2017). Desenvolvimento e evolução de competências empreendedoras em alunos de um curso de graduação em administração. Revista de Empreendedorismo, Inovação e Tecnologia, 4(2), 30-50.

https://doi.org/10.18256/2359-3539.2017.v4i2.2039

Xavier Filho, J. L. J., Sousa, J. L., Paiva Júnior, F. G., & Souza, L. K. V. (2014). O empreendedorismo social como alicerce do “Programa Empreender Comunidade”. Revista Interdisciplinar de Gestão Social, 3(1), 59-83. http://dx.doi.org/10.9771/23172428rigs.v3i1.9068

Zen, A. C., & Fracasso, E. M. (2008). Quem é o empreendedor? As implicações de três revoluções tecnológicas na construção do termo empreendedor. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 9(8), 135-150. https://doi.org/10.1590/S1678-69712008000800008

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Lacerda, G. D., & Andrade, D. M. (2021). Ação Empreendedora no Setor Público: O “Pós-compra” de uma Universidade Pública de Minas Gerais. Journal of Accounting, Management and Governance, 24(2), 185–203. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2021v24n2a3

Edição

Seção

Artigo científico (Seção de Gestão e Contabilidade Pública)