Relação entre Indicadores Financeiros e Não Financeiros das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde

Autores

  • Leandro Fernandes de Jesus Universidade Federal Fluminense (UFF)
  • Juliana Queiroz Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Emory University
  • Claudia Ferreira da Cruz Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Fernanda Filgueiras Sauerbronn Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Marcelo Alvaro da Silva Macedo Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2019v22n3a1

Palavras-chave:

Agência Nacional de Saúde Suplementar, Administradoras de Planos de Saúde, Desempenho.

Resumo

Objetivo: O presente estudo busca investigar a relação entre o indicador econômico-financeiro e os indicadores não financeiros divulgados pelas Operadoras de Plano de Saúde (OPS) para atendimento ao Programa de Qualificação da Saúde Suplementar (PQSS) da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Para o período de 2011 a 2014 buscou-se verificar se a performance financeira é determinante da performance operacional de 916 OPS no exercício subsequente e vice-versa.

Método: Foram construídos cinco modelos estatísticos de regressão baseados nos Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) e com erros-padrão robustos.

Originalidade/relevância: Realça a importância do sistema de mensuração da performance das OPS na perspectiva de atendimento às obrigações regulatórias e a possibilidade de utilização efetiva de tais indicadores pelos cidadãos-usuários no momento de escolha do plano.

Resultados: Os resultados confirmam que o índice financeiro tem relação positiva com os indicadores não financeiros do exercício subsequente. Além disso, exceto com relação ao indicador de satisfação do beneficiário quando da presença das variáveis de controle, os indicadores não financeiros foram capazes de explicar o índice financeiro.

Contribuições teóricas/metodológicas: Esta pesquisa têm o potencial de levantar novas questões sobre a implementação do PQSS e se o Índice de Qualificação da Saúde Suplementar (IDSS) realmente traz conteúdos informacionais significativos no momento de decisão e escolha, por parte do futuro beneficiário, do plano de saúde a ser contratado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS. Retrieved from: http://www.ans.gov.br. Acess on: 15 de fevereiro de 2018.

Baldassare, R.M. (2014). Análise do desempenho econômico-financeiro de operadoras de planos de saúde no mercado de saúde suplementar brasileiro [dissertação]. São Paulo: Escola de Administração de Empresas de São Paulo – FGV.

Banker, R. D., Potter, G., & Srinivasan, D. (2000). An Empirical Investigation of an Incentive Plan that Includes Nonfinancial Performance Measures. The Accounting Review, 75 (1), 65-92. https://doi.org/10.2308/accr.2000.75.1.65

Black, S., Briggs, S., & Keogh, W. (2001). Service quality performance measurement in public/private sectors. Managerial Auditing Journal, 16 (7), 400-405. https://doi.org/10.1108/EUM0000000005715

Cardoso, R.L. (2005). Regulação Econômica e escolhas contábeis: evidências no mercado de saúde suplementar brasileiro [tese]. São Paulo: FEA/USP.

Carvalho, R.R.O., Fortes, P. A.C., & Garrafa, V. (2013). Perspectiva bioética do modelo de assistência suplementar no Brasil. Revista Bioética, 21 (2), 259-267. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-80422013000200009

Chenhall, R.H., Hall, M., & Smith, D. (2013). Performance measurement, modes of evaluation and the development of compromising accounts. Accounting, Organizations and Society, 38, 268-287. https://doi.org/10.1016/j.aos.2013.06.002

Dawson, Y. (2016). The institutionalisation of private sector performance measurement in an Australian not-for profit organization [Dissertação]. Australia: Southern Cross University.

Delen, D., Kuzey, C., & Uyar, A. (2013). Measuring firm performance using financial ratios: A decision tree approach. Expert Systems with Applications, 40, 3970-3983. https://doi.org/10.1016/j.eswa.2013.01.012

Franco-Santos, M., Bourne, M. & Lucianetti, L. (2012). Contemporary performance measurement systems: A review of their consequences and framework for research. Management Accounting Research, 23, 79-119. http://dx.doi.org/10.1016/j.mar.2012.04.001

Gouveia, M.T.C.S. (2004). O modelo de Agência Reguladora e a ANS: construção do regime regulatório na saúde suplementar [dissertação]. São Paulo: Fundação Oswaldo Cruz – Escola Nacional de Saúde Pública – ENSP.

Ismail, T.H. (2007). Performance evaluation measures in the private sector: Egyptian practice. Managerial Auditing Journal, 22 (5), 503-513. https://doi.org/10.1108/02686900710750775

Kudlawicz, C. (2013). Um Estudo sobre o Impacto no Nível de Rentabilidade das Organizações Operadoras de Planos de Saúde em Função de seu Perfil [dissertação]. Paraná: Universidade Federal do Paraná.

Lebas, M.J. (1995). Performance measurement and performance management. International Journal of Production Economics, 41, 23-35. https://doi.org/10.1016/0925-5273(95)00081-X

Lima, E.P., Beuren, I.M., & Hein, N. (2013) Performance measurement systems: A consensual analysis of their roles. International Journal Production Economics, 146, 524-542. https://doi.org/10.1016/j.ijpe.2012.05.007

Mcintyre, D., Heier, E.J. & Rogers, L. (2001) Overview, History and Objectives of Performance Measurement. Health Care Financing Review, 22 (3). https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25372047

Moksony, F. (1990). Small is Beautiful. The use and interpretation of R2 in social research. Szociológiai Szemle, Special issue, 130-138.

Nunes, R, Brandão C., & Rego, G. (2011). Public Accountability and Sunshine Healthcare Regulation. Health Care Analysis, 19 (4), 352-364. http://dx.doi.org/10.1007/s10728-010-0156-6

Rocha, I., Beuren, I.M., & Hein, N. (2012). Rentabilidade de empresas que utilizam o Balanced Scorecard (BSC) versus empresas que utilizam somente indicadores de desempenho financeiros. Revista Estratégia e Negócios, 5 (2), 88-119. http://dx.doi.org/10.19177/reen.v5e2201288-119

Rust, R.T., & Zahorik, A.J. (2004). Customer Satisfaction, Customer Retention, and Market Share. Journal of Retailing, 69 (2), 193-215. http://dx.doi.org/10.1016/0022-4359(93)90003-2

Saliterer, I., & Korac, S. (2013). Performance information use by politians and public managers for internal control and external accoutability purposes. Critical Perspectives on Accounting, 24, 502-517. http://dx.doi.org/10.1016/j.cpa.2013.08.001

Salvatori, R.T., & Ventura, C.A.A. (2012). A Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS: Onze Anos de Regulação dos Planos de Saúde. Organizações & Sociedade, 19 (62), 471-487. http://dx.doi.org/10.1590/S1984-92302012000300006

Santos, F.P., Malta, D.C., & Merhy, E.E. (2008). A regulação na saúde suplementar: uma análise dos principais resultados alcançados. Ciência & Saude Coletiva, 13 (5), 463-475. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232008000500012

Schiozer, R.F., Saito, C.C., & Saito, R. (2011). Desempenho financeiro e satisfação do consumidor das operadoras de saúde suplementar no Brasil. Caderno de Saúde Pública, 27 (11), 2175-2187. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011001100011

Sedevich-fons, L. (2014). Financial Indicators in Healthcare Quality Management Systems. The TQM Journal, 26 (4), 312-328. http://dx.doi.org/10.1108/TQM-01-2014-0009

Publicado

2019-12-15

Como Citar

de Jesus, L. F., Queiroz, J., da Cruz, C. F., Sauerbronn, F. F., & Macedo, M. A. da S. (2019). Relação entre Indicadores Financeiros e Não Financeiros das Operadoras de Planos de Assistência à Saúde. Journal of Accounting, Management and Governance, 22(3), 316–333. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2019v22n3a1

Edição

Seção

Artigo científico (Seção de Gestão e Contabilidade de Empresas Privadas & do Terceiro Setor)

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)