Independência do Conselho de Administração Reduz o Custo de Financiamento da Dívida?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2020v23n1a1

Palavras-chave:

Independência do Conselho de Administração. Custo da Dívida. Capital de Terceiros. Endividamento.

Resumo

Objetivo: Verificar a influência da independência do conselho de administração no custo de financiamento da dívida de companhias abertas listadas na B3.

Método: O custo da dívida foi analisado pela razão entre as despesas financeiras e o passivo oneroso. Para independência do conselho, foram utilizadas três variáveis: 1) percentual de membros independentes; 2) dummy que recebeu valor 1 quando a maioria dos membros do conselho era independente; e 3) dummy que captou a existência de dualidade no cargo de CEO e de presidente do conselho.

Originalidade/relevância: Na literatura, os resultados de estudos anteriores ainda são divergentes. Assim, esse assunto ainda apresenta lacunas que requerem investigações. Além disso, as investigações ocorreram, principalmente, em empresas norte-americanas, logo o assunto merece atenção em países como o Brasil.

Resultados: O custo médio da dívida elevou-se de 2012 para 2016. O percentual médio de membros independentes não ultrapassou 25%, em menos de 17% das empresas, os membros independentes eram a maioria, e houve redução do número de empresas com dualidade nos cargos de CEO e de presidente do conselho. Constatou-se, também, que somente o percentual de membros independentes influenciava na redução do custo da dívida. Acredita-se que a pressão exercida pelo acionista controlador e por outros conselheiros internos pode estar reduzindo o impacto positivo dos conselheiros independentes.

Contribuições teóricas/metodológicas: A pesquisa contribui para fortalecer o entendimento da temática no cenário brasileiro e amplia a discussão existente na literatura ao abordar um fator influenciador do custo da dívida ainda pouco explorado no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geovanne Dias de Moura, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Doutor em Ciências Contábeis e Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau (FURB). Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis e Administração da Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Angela Paula Muchinski Bonetti, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Mestre em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Sady Mazzioni, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau – FURB. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis e Administração da Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Silvio Aparecido Teixeira, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau – FURB. Professor da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Cristian Baú Dal Magro, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau – FURB. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis e Administração da Universidade Comunitária da Região de Chapecó – UNOCHAPECÓ

Referências

Al-Najjar, B. (2017). Corporate governance and CEO pay: Evidence from UK Travel and Leisure listed firms. Tourism Management, 60, 9-14. https://doi.org/10.1016/j.tourman.2016.11.005.

Aman, H., & Nguyen, P. (2013). Does good governance matter to debtholders? Evidence from the credit ratings of Japanese firms. Research in International Business and Finance, 29, 14-34. https://doi.org/10.1016/j.ribaf.2013.02.002.

Anderson, R. C., Mansi, S. A., & Reeb, D. M. (2004). Board characteristics, accounting report integrity, and the cost of debt. Journal of accounting and economics, 37(3), 315-342. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2004.01.004.

Armstrong, C. S., Blouin, J. L., Jagolinzer, A. D., & Larcker, D. F. (2015). Corporate governance, incentives, and tax avoidance. Journal of Accounting and Economics, 60(1), 1-17. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2015.02.003.

Ashbaugh-Skaife, H., Collins, D. W., & LaFond, R. (2006). The effects of corporate governance on firms’ credit ratings. Journal of accounting and economics, 42(1-2), 203-243. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2006.02.003.

Barros, C. M. E., Silva, P. Y. C., & Voese, S. B. (2015). Relação entre o custo da dívida de financiamentos e governança corporativa no Brasil. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, 18(2), 7-26.

Bhojraj, S., & Sengupta, P. (2003). Effect of corporate governance on bond ratings and yields: The role of institutional investors and outside directors. The Journal of Business, 76(3), 455-475. https://www.jstor.org/stable/10.1086/344114.

Bradley, M., & Chen, D. (2015). Does board independence reduce the cost of debt?. Financial Management, 44(1), 15-47. https://doi.org/10.1111/fima.12068.

Caroprezo, B. (2011). O impacto das melhores práticas de governança corporativa no custo da dívida das empresas brasileiras. 22 f. (Tese de Doutorado). Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Chancharat, N., Krishnamurti, C., & Tian, G. (2012). Board structure and survival of new economy IPO firms. Corporate Governance: An International Review, 20(2), 144-163. https://doi.org/10.1111/j.1467-8683.2011.00906.x.

Chen, D. (2012). Classified boards, the cost of debt, and firm performance. Journal of Banking & Finance, 36(12), 3346-3365. https://doi.org/10.1016/j.jbankfin.2012.07.015.

Dai, L., Fu, R., Kang, J. K., & Lee, I. (2016). Corporate governance and the profitability of insider trading. Journal of Corporate Finance, 40, 235-253. https://doi.org/10.1016/j.jcorpfin.2016.08.002.

Detthamrong, U., Chancharat, N., & Vithessonthi, C. (2017). Corporate governance, capital structure and firm performance: evidence from Thailand. Research in International Business and Finance, 42, 689-709. https://doi.org/10.1016/j.ribaf.2017.07.011.

Dimick, M., & Rao, N. (2016). Wage-setting institutions and corporate governance. Journal of Comparative Economics, 44(4), 854-883. https://doi.org/10.1016/j.jce.2016.01.004.

Fields, L. P., Fraser, D. R., & Subrahmanyam, A. (2012). Board quality and the cost of debt capital: The case of bank loans. Journal of Banking & Finance, 36(5), 1536-1547. https://doi.org/10.1016/j.jbankfin.2011.12.016.

Fonseca, C. V. C., & Silveira, R. L. F. (2016). Governança corporativa e custo de capital de terceiros: evidências entre empresas brasileiras de capital aberto. REAd-Revista Eletrônica de Administração, 22(1), 106-133. http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.016162016.62739.

Fuzi, S. F. S., Halim, S. A. A., & Julizaerma, M. K. (2016). Board independence and firm performance. Procedia Economics and Finance, 37, 460-465. https://doi.org/10.1016/S2212-5671(16)30152-6.

Ghouma, H., Ben-Nasr, H., & Yan, R. (2018). Corporate governance and cost of debt financing: Empirical evidence from Canada. The Quarterly Review of Economics and Finance, 67, 138-148. https://doi.org/10.1016/j.qref.2017.06.004.

Liu, X., & Zhang, C. (2017). Corporate governance, social responsibility information disclosure, and enterprise value in China. Journal of Cleaner Production, 142, 1075-1084. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2016.09.102.

Luthan, E., & Satria, I. (2016). The Effect of Good Corporate Governance Mechanism to Earnings Management Before and After IFRS Convergence. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 219, 465-471. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2016.05.021.

Moura, G. D., & Beuren, I. M. (2011). Conselho de administração das empresas de governança corporativa listadas na BM&FBovespa: análise à luz da entropia da informação da atuação independente. Revista de Ciências da Administração, 13(29), 11-37, 2011. 10.5007/2175-8077.2011v13n29p11

Mulyadi, M. S., & Anwar, Y. (2015). Corporate governance, earnings management and tax management. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 177, 363-366. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.02.361

Muniandy, B., & Hillier, J. (2015). Board independence, investment opportunity set and performance of South African firms. Pacific-Basin Finance Journal, 35, 108-124. https://doi.org/10.1016/j.pacfin.2014.11.003.

Nadarajah, S., Ali, S., Liu, B., & Huang, A. (2018, Sept.). Stock liquidity, corporate governance and leverage: new panel evidence. Pacific-Basin Finance Journal, 50, 216-234. https://doi.org/10.1016/j.pacfin.2016.11.004.

Peasnell, K. V., Pope, P. F., & Young, S. (2005). Board monitoring and earnings management: Do outside directors influence abnormal accruals?. Journal of Business Finance & Accounting, 32(7‐8), 1311-1346. https://doi.org/10.1111/j.0306-686X.2005.00630.x

Piot, C., & Missonier-Piera, F. (2009, Sept. 1). Corporate governance reform and the cost of debt financing of listed French companies, Paper, 1-44. http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.960681.

Prommin, P., Jumreornvong, S., Jiraporn, P., & Tong, S. (2016). Liquidity, ownership concentration, corporate governance, and firm value: evidence from Thailand. Global Finance Journal, 31, 73-87. https://doi.org/10.1016/j.gfj.2016.06.006.

Rajpal, H. (2012). Independent Directors and Earnings Management: Evidence from India. International Journal of Accounting and Financial Management Research, 2(4), 9-24.

Riwayati, H. E., Markonah & Siladjaja, M. (2016, May). Implementation of Corporate Governance Influence to Earnings Management. Procedia-Social and Behavioral Sciences, 219, 632-638. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2016.05.044.

Shailer, G., & Wang, K. (2015). Government ownership and the cost of debt for Chinese listed corporations. Emerging Markets Review, 22, 1-17. https://doi.org/10.1016/j.ememar.2014.11.002.

Tanaka, T. (2014). Corporate governance and the cost of public debt financing: Evidence from Japan. Journal of the Japanese and International Economies, 34, 315-335. https://doi.org/10.1016/j.jjie.2014.03.002.

Vieira, K. M., Velasquez, M. D., Losekann, V. L., & Ceretta, P. S. (2011). A influência da governança corporativa no desempenho e na estrutura de capital das empresas listadas na Bovespa. Revista Universo Contábil, 7(1), 46-67. 10.4270/ruc.2011104.

Publicado

2020-04-29

Como Citar

Moura, G. D. de, Bonetti, A. P. M., Mazzioni, S., Teixeira, S. A., & Dal Magro, C. B. (2020). Independência do Conselho de Administração Reduz o Custo de Financiamento da Dívida?. Journal of Accounting, Management and Governance, 23(1), 1–18. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2020v23n1a1

Edição

Seção

Artigo científico (Seção de Gestão e Contabilidade de Empresas Privadas & do Terceiro Setor)