Ciclo de Vida e Suavização de Resultados: Evidências no Mercado de Capitais Brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.51341/1984-3925_2018v21n1a4

Palavras-chave:

Gerenciamento de resultados, Suavização de resultados, Ciclo de vida, Demonstração dos fluxos de caixa.

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar a influência do ciclo de vida das organizações nas práticas de suavização de resultados contábeis das empresas de capital aberto registradas na Bolsa de Valores Brasil, Bolsa, Balcão – [B]³. Como proxies de detecção da suavização de resultados, foram empregadas as métricas n.º 1, n.º 2 e n.º3 de Leuz, Nanda, e Wysocki (2003). Para a classificação das empresas em estágios de ciclo de vida, utilizou-se o modelo de Dickinson (2011), com base nos sinais obtidos pela demonstração dos fluxos de caixa. Como variáveis de controle, foram utilizados o desempenho, o endividamento e o tamanho. A amostra foi composta por 126 empresas brasileiras de capital aberto, totalizando 630 observações. A análise deu-se a partir da técnica de regressão com dados em painel, para o período entre 2011 e 2015. Os resultados indicaram que o estágio de ciclo de vida da organização pode influenciar, significativamente, a prática de suavização de resultados e que a discricionariedade dos gestores quanto à redução de variabilidade dos resultados (EM1) é mais evidente em empresas que estão no estágio de turbulência, ao passo que a discricionariedade na divulgação dos relatórios financeiros tornou-se mais evidente em empresas nos estágios de introdução e declínio (EM3).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Ribeiro, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutorando em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professor Assistente do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), campus de Irati.

Leandro Marcondes Carneiro, Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Doutorando em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em Contabilidade pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Luciano Márcio Scherer, Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP). Professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Referências

Almeida, J. E. F. de, Sarlo Neto, A., Bastianello, R. F., & Moneque, E. Z. (2012). Effects of income smoothing practices on the conservatism of public companies listed on the BM&FBOVESPA. Revista Contabilidade & Finanças, 23(58), 65-75. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-70772012000100005

Alves, L. C. O., & Marques, J. A. V. C. (2007). Identificação das fases do ciclo de vida de empresas através da análise das demonstrações dos fluxos caixa. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos, 4(3), 249-262.

Anthony, J. H., & Ramesh, K. (1992). Association between accounting performance measures and stock prices. A test of the life cycle hypothesis. Journal of Accounting and Economics,15(2-3), 203-227. DOI: https://doi.org/10.1016/0165-4101(92)90018-W

Bao, B. H., & Bao, D. H. (2004). Income smoothing, earnings quality and firm valuation. Journal of Business Finance & Accounting,31(9-10), 1525-1557. DOI:10.1111/j.0306686X.2004.00583.x

Belkaoui, A. R., & Picur, R. D. (1984). The smoothing of income numbers: Some empirical evidence on systematic differences between core and periphery industrial sectors. Journal of Business Finance & Accounting,11(4), 527-545. DOI:10.1111/j.1468-5957.1984.tb00768.x

Castro, M. A. R., & Martinez, A. L. (2009). Income smoothing, custo de capital de terceiros e estrutura de Capital no Brasil. RAM. Revista de Administração Mackenzie (Online), 10(6), 25-46.

Dechow, P. M., Ge, W., & Schrand, C. (2010). Understanding earnings quality: a review of the proxies, their determinants and their consequences. Journal of Accounting and Economics,50(2), 344-401. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2010.09.001

Dickinson, V. (2011). Cash flow patterns as a proxy for firm lifecycle. The Accounting Review,86(6), 1969-1994. DOI: https://doi.org/10.2308/accr-10130

Drake, K. D. (2015). Does firm lifecycle inform the relation between book-tax differences and earnings persistence? [SSRN Scholarly Paper No. ID 2547778]. Rochester, NY: Social Science Research Network.

Faller, R. L., da Cunha, C. M. P., Sarlo Neto, A., & Novaes, P. V. G. (2016, junho). Ciclo de vida das empresas e o retorno anormal das ações: um estudo empírico no mercado acionário brasileiro. Anais do Congresso ANPCONT, Ribeirão Preto, SP, Brasil, 10.

Grullon, G; Michaely, R., & Swaminathan, B. (2002). Are dividend changes a sign of firm maturity?. Journal of Business, 75(3), 387-424. DOI: http://dx.doi.org/10.1086/339889

Gu, Z., Lee, C. W. J., & Rosett, J. G. (2005). What determines the variability of accounting accruals?. Review of Quantitative Finance and Accounting, 24(3), 313-334. DOI: https://doi.org/10.1007/s11156-005-6869-1

Hasan, M. M., Hossain, M., Cheung, A., & Habib, A. (2015). Corporate life cycle and cost of equity capital. Journal of Contemporary Accounting & Economics, 11(1), 46-60. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jcae.2014.12.002

Healy P. M., & Wahlen, J. M. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons,13(4), 365-383. DOI: https://doi.org/10.2308/acch.1999.13.4.365

Holanda, A. P., & Coelho, A. C. (2016). Grenciamento de resultados e estrutura de propriedade: evidências no Brasil. Revista de Administração, Contabilidade e Sustentabilidade, 6(1), 17-35. DOI: https://doi.org/10.13140/2.1.1115.0720

Jenkins, D. S.; Kane, G. D., & Velury, U. (2004). The impact of the corporate life cycle on the value relevance of disaggregated earnings components. Review of Accounting and Finance,3(4), 5-20. DOI: https://doi.org/10.1108/eb043411

Kolozsvari, A. C., & Macedo, M. A. da S. (2016). Análise da Influência da Presença da Suavização de Resultados sobre a Persistência dos Lucros no Mercado Brasileiro. Revista Contabilidade & Finanças, 27(72), 306–319. DOI: https://doi.org/10.1590/1808-057x201602610

Konraht, J. M., Soutes, D. O., & Alencar, R. C. de. (2016). A relação entre a governança corporativa e o alisamento de resultados em empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Controladoria, 8(1), 47-65. DOI: https://doi.org/10.5380/rcc.v4i1.26685

Leuz, C., Nanda, D., & Wysocki, P. D. (2003). Earnings management and investor protection: An international comparison. Journal of Financial Economics, 69(3), 505–527. DOI: https://doi.org/10.1016/S0304-405X(03)00121-1

Lima, A. S. de, Carvalho, E. V. A. de, Paulo, E., & Girão, L. F. A. P. (2015). Estágios do ciclo de vida e qualidade das informações contábeis no Brasil. Revista de Administração Contemporânea, 19(3), 398-418. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-7849rac20151711

Lopes, A. B., & Tukamoto, Y. S. (2007). Contribuição ao estudo do “gerenciamento” de resultado: uma comparação entre as companhias abertas brasileiras emissoras de ADRs e não-emissoras de ADRs. Revista de Administração,42(1), 86-96. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-21072007000100008

Luiz, I. G., Nascimento, M., & Pereira, L. C. S. (2008, julho). Impacto do gerenciamento de resultados no retorno anormal: Estudo empírico dos resultados das empresas listadas na Bolsa de Valores de São Paulo-BOVESPA. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, Brasil, 8.

Martinez, A. L. (2001). Gerenciamento dos resultados contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras. Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Martinez, A. L., & Bassetti, M. (2016). Ciclo de vida das empresas, book-tax differences e a persistência nos lucros. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade (REPeC),10(2), 148-152. DOI: http://dx.doi.org/10.17524/repec.v10i2.1312

Martinez, A. L., & Castro, M. A. O. (2008, junho). Income smoothing e o valor da firma. Anais do Congresso ANPCONT, Salvador, BA, Brasil.

Michelson, S. E., Jordan-Wagner, J. E., & Wootton, C. W. (1995). A market-based analysis of income smoothing. Journal of Business Finance & Accounting,22(8), 1179-1193. DOI: 10.1111/j.1468-5957.1995.tb00900.x

Miller, D., & Friesen, P. H. (1984). A longitudinal study of the corporate life cycle. Management Science,30(10), 1161-1183. DOI: https://doi.org/10.1287/mnsc.30.10.1161

Novaes, P. V. (2015). Essays on life cycle, voluntary disclosure and the cost of capital of Brazilian companies. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES, Brasil.

Park, Y., & Chen, K. H. (2006). The effect of accounting conservatism and life-cycle stages on firm valuation. Journal of Applied Business Research, 22(3), 75-92.

Ribeiro, F., & Colauto, R. D. (2016). A relação entre board interlocking e a suavização de resultados. Revista Contabilidade & Finanças, 27(70), 55-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1808-057x201501320

Scott, W. R. (2012). Financial accounting theory (6th ed.). Toronto, CA: Pearson Canadá.

Downloads

Publicado

2018-04-16

Como Citar

Ribeiro, F., Carneiro, L. M., & Scherer, L. M. (2018). Ciclo de Vida e Suavização de Resultados: Evidências no Mercado de Capitais Brasileiro. Journal of Accounting, Management and Governance, 21(1), 63–79. https://doi.org/10.51341/1984-3925_2018v21n1a4

Edição

Seção

Artigos