Social Representations of Accounting in Facebook Communities

Ivan Canan, Isabela Augusta Andrade Souza, Kelly Cristina Pereira de Oliveira

Abstract


This paper deals with the social representations of accounting that emerge from the contents shared by users of the social network Facebook. The sample studied includes the ten most popular communities organized around accounting, and their last fifty posts. The messages were coded and categorized using the content analysis methodology as well as platform social interaction data such as likes, comments and shares were used to assess the popularity of content / contexts and message formats. The analysis of the data indicates that the people that congregate around accounting in Facebook communities tend to deal primarily with tributary and bureaucratic issues, suggesting that in these communities accounting is the expression of a praxis whose function is to attend totax issues. Deductions converge to other studies on social representations of accounting in Brazil, reinforcing the idea that accounting is viewed differently by academia, professionals and stakeholders.


Keywords


Academic publications; Accounting; Social representations; social media; Facebook

References


Acosta Valencia, G. L., & Maya Franco, C. M. (2012). Participación política en redes sociales: el caso de los grupos en Facebook®. Sello Editorial de la Universidad de Medellín.

Albagli, S. (1996). Divulgação científica: informação científica para cidadania. Ciência da informação, 25(3).

Arruda, A. (1998). O ambiente natural e seus habitantes no imaginário brasileiro. Representando a alteridade. Petrópolis: Vozes, 17-46.

Bardin, L. (2009). Análise de conteúdo (Edição revista e actualizada).

Lisboa: Edições, 70. Bittencourt, M. C. A. (2016). Midiatização do Ativismo e Jornalismo Digital: o impacto dos filtros do Facebook nos processos de produção e circulação de conteúdos de coletivos midiáticos.

Revista Latinoamericana de Ciencias de la Comunicación, 12(22).

Bueno, W. C. (2010). Comunicação cientifica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituaiss. Informação & Informação, 15(1esp), 1-12.

Couto, T. C. (2013). O Facebook como instrumento para a construção do senso comum on-line. Revista Mídia e Cotidiano, 2(2), 321-334.

de Contabilidade, C. F. (2016). Pesquisa perfil do profissional da contabilidade 2012/13.

Dias, G. M., & de Andrade Martins, G. (2005). Representações sociais e imaginário coletivo na contabilidade. Revista Contemporânea de Contabilidade, 2(4), 9-31.

Ebrahimi, M., & Salaverría, R. (2015). Virtual identities of Muslim women: A case study of Iranian Facebook users. Observatorio (OBS*), 9(1), 159-170.

Guerra, G. C. M., Shinzaki, K., Ichikawa, E. Y., & Sachuk, M. I. (2011). A representação social da profissão de contador na perspectiva dos profissionais da contabilidade. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(12), 157-171.

Halfeld, P. C. (2013). A construção do outro nas redes sociais: uma análise semiolinguística de comunidades do Facebook. Entretextos, 12(2).

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (1999). Teoria da Contabilidade.

trad. Antônio Zoratto Sanvicente. São Paulo: Atlas. Tradução de: Accounting theory.

Iudícibus, S. (2004). Teoria da Contabilidade. São Paulo : Atlas

Iudícibus, S. D., Martins, E., & Carvalho, L. N. (2005). Contabilidade: aspectos relevantes da epopéia de sua evolução. Revista Contabilidade & Finanças, 16(38), 7-19.

Junior, G. C. S., & Rocha, L. D. M. L. N. (2013). A Internet e os novos processos de articulação dos movimentos sociais. Revista Katálysis, 16(2), 205-213.

Kozinets, R. V. E-tribalized marketing? the strategic implications of virtual communities of consumption. European Management Journal, London, v. 17, n. 3, p. 252-264, June 1999.

Liceaga Mendoza, R. I. (2014). Representaciones de Facebook: nomenclaturas de vida ante la ley, la amistad y la muerte. Cultura y representaciones sociales, 8(16), 137-174.

Lopes, A. B. & Martins, E. (2005). Teoria da Contabilidade: Uma Nova Abordagem. São Paulo: Atlas

Lopes, A. B., & Iudícibus, S. D. (2004). Teoria avançada da contabilidade. São Paulo: Atlas.

Miranda, G. J., Leal, E. A., de Oliveira Medeiros, C. R., & Lemes, S. (2015). SOCIAL REPRESENTATIONS OF COLLEGE APPLICANTS:(RE) CONSTRUCTING THE STEREOTYPE OF ACCOUNTING PROFESSIONALS. Advances in Scientific and Applied Accounting, 8(1), 020-038.

Monfredini, I. (2015). Ciencia para la inclusión social en Brasil: un análisis crítico. Sinéctica, (44), 1-19.

Moscovici, S. (2009). Representações sociais: investigações em psicologia social. In Representações sociais: investigações em psicologia social. Vozes.

Moscovici, S. A. On social representation. (1981). In: FORDAS, JP (eds) Social cognition: perspectives on everyday ubderstanding. London: Academic Press, pp. 181 – 209.

Oliveira, F. O.; Werba, G. C. (1998). Representações Sociais. In: JACQUES, M. G. P. et al. Psicologia social contemporânea. Petrópolis: Vozes

Panhoca, L., Accioly Jr, H., Nakagawa, M., & Silva, O. M. P. D. (2004). A representação das palavras contabilidade, custos e investimento para os universitários e profissionais da área econômica/financeira. Revista Contabilidade & Finanças, 15(35), 45-53.

Pedroni, M., Pasquali, F., & Carlo, S. (2014). «My Friends are my Audience»: Mass-mediation of Personal Content and Relations in Facebook. Observatorio (OBS*), 8(3), 97-113.

Prates, H. Crítica social e participação política na internet. Galaxia (São Paulo, Online), 27, 254-257

Schmidt, P. (1998). A classificação da contabilidade dentre os ramos do conhecimento humano. Caderno de Estudos, (17), 01-17.

Silva, C. R., Gobbi, B. C., & Simão, A. A. (2011). O uso da análise de conteúdo como uma ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações Rurais & Agroindustriais, 7(1).

Tilly, C., & Wood, L. J. (2010). Los movimientos sociales, 1768-2009: Desde sus orígenes a Facebook. Grupo Planeta (GBS).

Tomaél, M. I., Alcará, A. R., & Di Chiara, I. G. (2005). Das redes sociais à inovação. Ciência da informação, Brasília, 34(2), 93-104.

Vanti, N. A. P. (2002). Da bibliometria à webometria: uma exploração conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da informação, 31(2), 152-162.




DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2017v20n3a1

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


e-ISSN: 1984-3925

Licença Creative Commons
The JAMG adopts the Creative Commons license CC-BY-NC ND Creative Commons Attribution 4.0 

Indexing and Abstracting:

Logotipo SPELLLogotipo LATINDEX Logotipo OPENAIRE Logotipo DOAJLogotipo Cengage Logotipo EBSCOLogotipo REDIB Logotipo ESCI