Disclosure Level of CPC 29 Biological Assets: Analysis of Determining Factors in Brazilian companies

Daniel Ramos Nogueira, Paulo Alexandre da Silva Pires

Abstract


The research question guiding this research is "What are the Determining Factors of CPC 29 Disclosure in Brazilian Companies?". In this aspect, the research objective was to evaluate the main factors that affect the disclosure of information related to biological assets. For this, 5 variables highlighted in the literature were selected as evidence influencers. The sample was composed of Brazilian companies with biological assets in the Balance Sheet. From this list, financial statements, explanatory notes, corporate management level and independent auditing company for the 6 years (2010 to 2015) were collected. With the collected information, the dependent variable (Disclosure level of CPC 29) and the independent variables of each year were verified. At the end (after exclusions), 100 observations were analyzed. The results indicated that the variables Size, Representativeness of Biological Assets and Effectiveness of OCPC 07 positively impacted the level of Disclosure. The first two confirmed the predicted hypothesis and OCPC 07 presented a relation that was different from what was expected, showing an increase and not a reduction in the number of disclosures in the years 2014 and 2015.

Keywords


Disclosure; Biological Assets; Conformity; Accounting; Agriculture

References


Almeida, J. E. F. de., & Almeida, J. C. G. de. (2009). Auditoria e earnings management: estudo empírico nas empresas abertas auditadas pelas big four e demais firmas de auditoria. Revista Contabilidade & Finanças, 20(50), 62-74.

Argilés, J. M., Garcia-Blandon, J., & Monllau, T. (2011). Fair value versus historical cost-based valuation for biological assets: predictability of financial information. Revista de Contabilidad-Spanish Accounting Review, 14(2), 87-113.

Argilés Bosch, J. M., Aliberch, A. S., & Garcia-Blandon, J. (2012). A comparative study of difficulties in accounting preparation and judgement in agriculture using fair value and historical cost for biological assets valuation. Revista de Contabilidad-Spanish Accounting Review, 15(1), 109-142.

Barros, C. C., Souza, F. J. V., Araujo, A. O., Silva, J. D. G., & Silva, M. C. (2012). O impacto do valor justo na mensuração dos ativos biológicos nas empresas listadas na BM&FBOVESPA. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 17(3), 41-59.

Braunbeck, G. O. (2010). Determinantes da qualidade das auditorias independentes no Brasil. Tese de Doutorado em Controladoria e Contabilidade, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo (FEA-USP), São Paulo.

Brito, S. S., & Ambrozini, M. A. (2013). Impactos da implementação das Normas Internacionais de Contabilidade sobre indicadores financeiros: um estudo das empresas brasileiras com ativos biológicos. Contabilidade Vista & Revista, 24(3), 78-102.

Brizolla, M. M. B., Pletsch, C. S., Fasolin, L. B., Silva, A., & Rosa, F. S. da. (2014). Determinantes da Avaliação dos Ativos Biológicos a Valor Justo, em empresas listadas na Bm&FBovespa. Revista Ambiente Contábil, 6(2), 152-169.

Cameron, A. C., & Trivedi, P. K. (2009). Microeconomics Using Stata. Texas: Stata Press.

Comissão de Valores Mobiliários. (2014). Deliberação CVM nº 727 – Aprova a orientação OCPC 07 do Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que trata da evidenciação na divulgação dos relatórios contábil-financeiros de propósito geral. Brasília: CVM. Recuperado em 25 de Outubro de 2016, de http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/legislacao/deli/anexos/0700/deli727.pdf

Comitê de Pronunciamentos Contábeis. (2009). Pronunciamento técnico CPC 29 – Ativo Biológico e Produto Agrícola. Brasília: CPC. Recuperado em 12 de Abril de 2015, de http://static.cpc.mediagroup.com.br/Documentos/324_CPC_29_rev%2003.pdf

Comitê de Pronunciamentos Contábeis. (2014). Orientação Técnica OCPC 07 Evidenciação na Divulgação dos Relatórios Contábil-Financeiro de Propósito Geral. Brasília: CPC. Recuperado em 22 de Outubro de 2016, de http://static.cpc.mediagroup.com.br/Documentos/488_OCPC_07_Orienta%C3%A7%C3%A3o.pdf

Cooper, D. R., & Schindler, P. S. (2003). Métodos de Pesquisa em Administração (7th ed.). Porto Alegre: Bookman.

Elad, C., & Herbohn, K. (2011). Implementing fair value accounting in the agricultural sector. Edinburgh: The Institute of Chartered Accountants of Scotland.

Fávero, L. P. (2015) Análise de Dados: Modelos de Regressão com EXCEL®, STATA® e SPSS®. Rio de Janeiro: Campus Elsevier.

Figueira, L. M., & Ribeiro, M. S. (2015). Análise da Evidenciação sobre a mensuração de ativos biológicos: Antes e Depois do CPC 29. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(26), 73-98.

Gonçalves, R., & Lopes, P. (2014). Firm-specific determinants of agricultural financial reporting. Procedia – Social and Behavioral Sciences, 110, 470-481.

Hendriksen, E. S., & Van Breda, M. F. (1999). Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas.

Iudícibus, S. de. (2010). Teoria da Contabilidade (11th ed.). São Paulo: Atlas.

Lefter, V., & Roman, A. G. (2007). IAS 41 Agriculture: Fair Value Accounting. Theoretical and Applied Economics, 5(510), 15-22.

Macedo, V. M., Campagnoni, M., & Rover, S. (2015). Ativos biológicos nas companhias abertas no Brasil: Conformidade com o CPC 29 e associação com características empresariais. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 10(3), 7-24.

Moura, P. J. P de, Carmo, C. H. S. do, Ribeiro, A. M., & Pereira, E. M. (2016). Fatores Explicativos do Nível de Conformidade da Divulgação Contábil Requerida dos Ativos Biológicos das Empresas Listadas na BM&Fbovespa. In 20º Congresso Brasileiro de Contabilidade (pp. 1-14). Fortaleza-CE: Conselho Federal de Contabilidade.

Oliveira, N. C. de, Nardi, P. C. C., & Nakao, S. H. (2015). Influência das Empresas de Auditoria na Divulgação de Informações referentes aos Ativos Biológicos. In IX Congresso ANPCONT (pp. 1-17). Curitiba-PR: ANPCONT.

Pires, P. A. da S., Tortoli, J. P., Botelho, D. R., & Rech, I. J. (2016). Estudo da Associação Entre o Nível de Evidenciação e o Grau de Concentração da Propriedade nas Empresas Brasileiras que Exploram Ativos Biológicos. In 20º Congresso Brasileiro de Contabilidade (pp. 1-15). Fortaleza-CE: Conselho Federal de Contabilidade.

Rech, I. J., & Oliveira, K. G. (2011). Análise da aplicação do CPC 29 e IAS 41 aos ativos biológicos no setor de silvicultura. In V Congresso Anpcont (pp. 1-16). Vitória-ES: ANPCONT.

Rover, S., Tomazzia, E. C., Murcia, F. D., & Borba, J. A. (2012). Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando análise de regressão em painel. Revista de Administração, 47(2), 217-230.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. D. P. B. (2013). Metodologia da Pesquisa (5th ed.). Porto Alegre: Penso.

Scherch, C. P., Nogueira, D. R., Olak, P.A., & Cruz, C. V. O. A. (2013). Nível De Conformidade Do CPC 29 Nas Empresas Brasileiras: Uma Análise Com as Empresas De Capital Aberto. RACE Unoesc, 12(2), 459-490.

Scherer, L. M., Munhoz, T. R., & Roth, T. C. (2014). Fatores Explicativos da Divulgação de Ativos Biológicos e Produtos Agrícolas em Empresas de Capital Aberto e Fechado. In VIII Congresso Anpcont (pp. 1-18). Rio de Janeiro: Anpcont.




DOI: http://dx.doi.org/10.21714/1984-3925_2017v20n1a3

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


e-ISSN: 1984-3925

Licença Creative Commons
The JAMG adopts the Creative Commons license CC-BY-NC ND Creative Commons Attribution 4.0 

Indexing and Abstracting:

Logotipo SPELLLogotipo LATINDEX Logotipo OPENAIRE Logotipo DOAJLogotipo Cengage Logotipo EBSCOLogotipo REDIB Logotipo ESCI